quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Como Surgiu os Orixás? Orixás na Umbanda.


@Créditos http://povo-umbanda.blogspot.com.br

Mas, como surgiram os orixás? Quais as suas origens?


Quando Olorum, Senhor do Infinito, criou o Universo com o seu ófu-rufú, mimó, ou hálito sagrado, criou junto seres imateriais que povoaram o Universo. Esses seres seriam os orixás que foram dotados de grandes poderes sobre os elementos da natureza. Em verdade, os orixás são emanações vindas de Olorum, com domínio sobre os 4 (quatro) elementos: fogo, água, terra e ar e ainda dominando os reinos vegetal e animal, com representações dos aspectos masculino e feminino, ou seja, para todos os fenômenos e acidentes naturais, existe um orixá regente. Através do processo de constituição física e diante das leis de afinidades, cada ser humano possui 01 (um) ou mais orixá, como protetores de sua vida, a eles sendo destinados formas diversas de culto.
Um outro aspecto a ser analisado sobre a tradição de orixá e sua origem seria a de que alguns orixás seriam, em princípio, ancestrais divinizados que em vida estabeleceram vínculos que lhes garantiam um controle sobre certas forças da natureza, como o trovão, o vento, as águas doces, ou salgadas, ou então, assegurando-lhes a possibilidade de exercer certas atividades como a caça, o trabalho com metais, ou ainda, adquirindo o conhecimento das propriedades das plantas e de sua utilização.
O poder axé do ancestral-orixá teria, após a sua morte, a faculdade de encarnar-se momentaneamente em um de seus descendentes durante um fenômeno de possessão por ele provocada.
A passagem da vida terrestre à condição de orixá aconteceu em momento de paixão como nos mostram as lendas dos orixás.
SAUDAÇÕES:
As saudações são muito importantes, pois é através delas que nós invocamos os orixás
Assim, passarei a vocês “As saudações de Alguns Orixás ( no Ketu) e seus significados”:

Exu
Kóbà Láryè
aquele que é muito falante
Ogun
Pàtakorí
exterminador ou cortador de ori ou cabeça
Oxossy
Ará Unse Kòke Ode
guardador do corpo e caçador
Xangô
Kawó-Kábièsilé
venham ver o Rei descer sobre a terra
Oxum
Orà Yè Yé Ofyderímàn
salve mãezinha doce, muito doce
Yansã ou Oyá
Èpàrèi
venha, meu servo
Omolu e Obaluayê
Atótóo
silêncio
Yemanjá
Èru Ìyá ,odoyá
senhora do cavalo marinho
Oxumaré
Arrum Bobo(termo Jeje)
senhor de águas supremas
Nanã
Sálùbá
pantaneira (em alusão aos pântanos de Nanã)
Oxalá
Esè Epa Bàbá
você faz, obrigado Pai


Os 7 Orixás Cósmicos da Umbanda

Para entendermos os Orixás, temos que imaginar que todo o cosmo influencia o planeta Terra. Negar a influência dos astros em nossas vidas deitaria por terra a força que as fases da Lua exercem em todos os setores da Natureza, inclusive não haveria mais os lunáticos, aquelas pessoas que mudam de comportamento conforme a pressão da Lua. Vamos dividir esse Infinito em sete partes, e dar a cada parte um nome: Oxalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Iemanjá, Oxum e Iansã. Ogum é a vibração que atua no ferro, Oxossi nas matas e animais, Xangô nas pedras, Iemanjá no mar, Oxum nas cachoeiras e rios e Iansã no vento, chuvas e tempestades. Oxalá é considerado o Orixá Maior porque ele atua em todos os elementos através dos outros.
Essas forças cósmicas são os Orixás, e pelo sincretismo com a religião católica eles são representados na Umbanda por Jesus Cristo (Oxalá), São Jorge (Ogum), São Sebastião (Oxossi), São Jerônimo (Xangô), Nossa Senhora (Iemanjá), N.S. da Conceição (Oxum) e Santa Bárbara (Iansã). Essas são as linhas que cultuamos no Terreiro do Pai França, mas outros terreiros fazem de forma diferente. O sr. Zélio de Moraes iniciou a Umbanda cultuando as sete linhas dessa forma: Oxalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Iemanjá, Iansã e Exu. 
O sr. W.W. da Mata e Silva, uma figura de real importância na Umbanda, autor de várias obras, cultuava: Oxalá, Ogum, Iemanjá, Oxossi, Xangô, Yuri (linha do Oriente) e Yorima (linha dos pretos-velhos).



Nenhum comentário:

Postar um comentário